Enciar currículo
Somente DEUS abrange Tudo!!! Somente DEUS É O SENHOR!
EMAIL:
SENHA:
Cadastre-se
.
Seja bem vindo! Hoje é 18 de Dezembro de 2017.

Artigos


Resmungão... Eu?


Por Eni Santos


Quem não se lembra do Zangado, personagem do clássico infantil "Branca de Neve e os Sete Anões"? Na história, ele se diferencia por reclamar de tudo, estar o tempo todo de cara feia e enxergar sempre o lado negativo das coisas. Essas características, em função do contexto fantasioso da história, tornaram o personagem Zangado muito gracioso. Mas, infelizmente, sua presença mal-humorada rompeu as fronteiras das páginas dos livros infantis e hoje pode ser vista também nos ambientes de trabalho - e, é claro, sem graça alguma.



As características do autêntico Zangado corporativo, marcadas principalmente por reclamações constantes e cara feia, tornam-no um profissional nocivo às empresas, aos colegas de trabalho e a si próprio. Vale dizer que, em algumas corporações, a presença de funcionários ranzinzas é, equivocadamente, justificada pelas competências técnicas que apresentam, pela confiança que conquistaram ou ambas. Mas, se o ranzinza estiver posicionado em um cargo de comando ou no atendimento ao cliente, os prejuízos ganham proporções exponenciais.



Funcionários que reclamam de tudo porque nada está suficientemente bom para eles, que vivem de cara amarrada e possuem falas como: "Já vi esse filme antes, não dá em nada...", "Isso não vai dar certo", "Essa meta é absurda" ou "Aqui só tem incompetentes", causam muitos prejuízos às empresas porque negativam o ambiente de trabalho e fragilizam diretamente a efetividade do trabalho em equipe, a produtividade, a criatividade, as iniciativas de mudança organizacional, a agilidade na tomada de decisões, entre outras ações que, se não desempenhadas, afetam profundamente os resultados do negócio.



A experiência de conviver com um colega de trabalho com o estereótipo do Zangado corporativo é desgastante. Pode ocorrer perda de energia pessoal e até ser prejudicial à saúde, por causa do estresse comumente envolvido nesse tipo de relacionamento. Já para a pessoa que reclama de tudo, os danos podem ser ainda mais sérios. Além da obviedade dos efeitos à própria saúde, as implicações sobre a vida profissional vão desde ser preterida a cargos de maior responsabilidade e complexidade e ter a carreira estagnada até a dificuldade de ser recolocada no mercado de trabalho.



Em razão dessas e outras consequências que, em princípio, podem parecer subjetivas, é que as práticas contemporâneas de Gestão de Pessoas preconizam que os funcionários devem ser avaliados tanto pelas competências técnicas como comportamentais. Portanto, se você se identifica com essas características e quer mudar o rumo de sua história profissional, comprometendo-se com o desempenho e o sucesso em sua carreira, há sete dicas importantes para afastar o mau humor.




1 - "Faça uma autoavaliação e fique atento ao seu comportamento". Todos nós, eventualmente, podemos estar sujeitos ao mau humor. Entretanto, merece atenção se ele for algo frequente em seu cotidiano.



2 - "Busque o autoconhecimento". Detecte os gatilhos do mau humor, avalie-os e aja sobre eles, afastando-os.



3 - "Pratique a gratidão". As pessoas que a exercitam têm maior habilidade para enxergar uma mesma situação por outra perspectiva.



4 - "Examine seu dia a dia profissional". No seu trabalho, a quantidade de atividades que você gosta de fazer, ou seja, que te dão prazer, deve ser maior do que as atividades que você julga menos prazerosas. Questione-se: isso tem acontecido?



5 - "Exercite o domínio próprio". Acredite, você pode escolher suas reações diante de adversidades e valorizar ou não situações ruins.



6 - "Desenvolva a resiliência". Não se deixe perturbar e nem se atenha mais que o tempo suficiente a circunstâncias desgastantes.



7 - "Administre sua vida". Seja organizado e possua planos "B".




No mundo corporativo, todo profissional possui uma marca pessoal que é traduzida pelo desempenho, resultados e atitudes. Dessa forma, se você deseja crescimento e sucesso profissionais, é melhor deixar que o Zangado seja apenas uma lembrança de infância, um gracioso personagem de uma história infantil e dizer adeus à cara feia.




De 07/03/2014




Outros artigos


O tempo não tem culpa
[21/10/2014]
Por Cersi Machado


O DNA dos vencedores
[09/10/2014]
Por Kamilla Matos


O bom comportamento como diferencial no trabalho
[19/09/2014]
(José Roberto Marques)


Socorro, não tenho sucesso!
[10/09/2014]
(Por Neusa Miguel)


Como gerenciar emoções no ambiente de trabalho
[03/09/2014]
(Por Tatiane Tedesco)


Fofoca no mundo corporativo: como se livrar delas?
[21/08/2014]
(Por Marisol Camarinha)








Abrangente Consultoria em Recursos Humanos
Todos os Direitos reservados

Site: www.portalabrangente.com.br
E-mail: abrangente@portalabrangente.com.br
Telefone Escritório: (79) 3214-9717

Aracaju - Sergipe - BRASIL
Magikal Design