Enciar currículo
Somente DEUS abrange Tudo!!! Somente DEUS É O SENHOR!
EMAIL:
SENHA:
Cadastre-se
.
Seja bem vindo! Hoje é 18 de Dezembro de 2017.

Artigos


Quem Tem Medo De Falar Em Público?


Não há como escapar. Ainda que você tenha dor de barriga, sue frio, gagueje, engasgue, a carreira de um executivo exige que às vezes ele faça uma apresentação pública.


Pode ser numa grande reunião de representantes, numa convenção, num seminário ou simplesmente numa venda para um cliente importante. Aqueles que não dominaram a técnica da oratória certamente passaram por sérias dificuldades nestes momentos.

Em uma de nossas pesquisas, realizadas junto a 643 executivos de vários cargos em empresas de diversos portes, o medo de falar em público aparece apenas em quinto lugar (com 4,9%) dentre os maiores temores dos executivos. Em primeiro lugar estava o desemprego, com 70,7%, em segundo a politicagem da empresa, com 28,6%, em terceiro ter que demitir funcionários (11%), e em quarto trabalhar sem registro em carteira profissional. No entanto, a necessidade de dirigir-se a uma platéia é uma coisa perturbadora para muita gente.

Fantasmas

A reação da platéia é o que mais perturba durante uma apresentação. O ideal seria que todos os presentes ficassem bem quietinhos e atentos para o que você vai dizer. Mas não! Sempre tem um que tosse, o outro que boceja, outro que cochicha sem parar com o vizinho do lado (será que ele está falando mal da minha apresentação?). Há aquele que se levanta no meio da palestra e sai (está fugindo da minha apresentação, quem sabe ofendido por alguma coisa que eu disse?).

Para muitas pessoas, fazer uma apresentação é um tormento. Alguns executivos entrevistados pela nossa equipe confessam que têm mais medo de enfrentar uma platéia do que da morte. Não é exagero. Para muitas pessoas, falar em público é quase impossível. Você se enquadra nessa categoria? Então acompanhe algumas dicas. Podem ser úteis para o futuro.

A platéia

Em primeiro lugar, convença-se do seguinte: a platéia não está contra você. Quem boceja certamente teve problemas em casa, com o filho pequeno, e não dormiu direito; ele não está entediado com a sua apresentação - apenas está com sono. Quem cochicha com o companheiro do lado deve ter se lembrado de uma coisa urgente para dizer, ou não se conteve em fazer uma piadinha. Além de desviar sua atenção, foi mal educado. Mas não se preocupe, porque não é com você.

Se alguém se levantou no meio de sua apresentação e saiu, tire da cabeça de que essa pessoa está promovendo uma revolta contra a sua apresentação. Pode ser que esse alguém simplesmente precise ir ao banheiro.

Numa apresentação, encare a platéia de frente. Não fixe o olhar num ponto só, ou numa pessoa só, para não dar impressão de estar se dirigindo a algumas pessoas em especial. Ao contrário, procure se movimentar enquanto fala, olhando sempre para todos os lados da platéia. Mas não se movimente demais - você não estará num palco.

E cuidado especialmente com a postura. Não olhe muito para cima, porque pode dar idéia de arrogância. Também não olhe para o chão, porque pode dar impressão de fraqueza.

O assunto

Você tem segurança sobre o assunto de que vai falar?

Este é o ponto importante de uma apresentação, porque as pessoas perceberão facilmente se você não estiver bem preparado e a possibilidade de não se concentrarem no que você diz é grande.

Prepare-se. Ensaie. Ouça críticas.

As pessoas têm, em geral, percepção visual apurada. Respeite isto utilizando o mais possível recursos visuais como gráficos, tabelas, ilustrações, imagens.

Qualidades da apresentação

A primeira qualidade de um orador é o planejamento.
Ao aceitar se dirigir a uma platéia, é preciso pensar sobre :

    1. o que dizer
    2. como dizer
    3. a quem dizer
    4. porque dizer

Somente a pessoa experiente, que ensaiou e comprovou adequada rapidez de raciocínio, e que conhece profundamente o assunto sobre o qual vai falar, pode se submeter ao risco de fazer um discurso sem planejamento. Mesmo porque uma pessoa com essas características fará, sem perceber, o planejamento mental assim que decidir falar. O professor, por exemplo, prepara a sua aula, até que a coordenação mental passe a ser de tal maneira automática que o processo fique fácil em sua mente. Todas as pessoas poderão obter sucesso falando em público, desde que se acostumem ao saudável planejamento.

A segunda qualidade do orador é a clareza.
A clareza permite que não haja equívocos, e que o conteúdo da mensagem será entendido imediatamente, sem interpretações que desviem a atenção da platéia do assunto principal. Alguns cuidados devem ser tomados para garantir a clareza.

Evitar frases oblíquas
Seja simples. Monte frases com sujeito, verbo, predicado, nesta ordem. Não é interessante, do ponto de vista da comunicação, a ordem indireta, e pode ser pedante. É possível fazer um discurso com simplicidade e ao mesmo tempo com elegância.

Evitar jargões
Um discurso cheio de termos específicos de informática, por exemplo, poderá não ser efetivo para uma platéia que não esteja afeita aos jargões da área.

Evitar gírias
As gírias, por definição, estão restritas a determinados grupos sociais e ademais são efêmeras. O orador que utiliza gírias corre o risco de não ser entendido. Se isso ocorrer, sua mensagem não terá efetividade.

Evitar piadas
O humor é uma excelente maneira de prender a atenção do público, mas raramente as anedotas ou piadas são completamente aceitas pela audiência. Somente o orador bastante conhecido da platéia pode se expor ao risco de contar uma piada.

O momento mais importante de uma palestra, embora possa parecer estranho, é quando ela acaba. É quando várias pessoas, que durante a palestra estiveram inibidas de endereçar perguntas ao orador em público, aproveitam para tirar dúvidas ou fazer perguntas diretamente. Estas são, em geral, as pessoas verdadeiramente interessadas no assunto, e vale a pena dar o máximo de atenção possível a elas.


Fonte: rhportal.com.br


Prepare-se pra este momento

Inscreva-se em um dos nossos Cursos de Oratória e aprenda a vencer todos este medos e fantasmas.




De 03/06/2011




Outros artigos


O tempo não tem culpa
[21/10/2014]
Por Cersi Machado


O DNA dos vencedores
[09/10/2014]
Por Kamilla Matos


O bom comportamento como diferencial no trabalho
[19/09/2014]
(José Roberto Marques)


Socorro, não tenho sucesso!
[10/09/2014]
(Por Neusa Miguel)


Como gerenciar emoções no ambiente de trabalho
[03/09/2014]
(Por Tatiane Tedesco)


Fofoca no mundo corporativo: como se livrar delas?
[21/08/2014]
(Por Marisol Camarinha)








Abrangente Consultoria em Recursos Humanos
Todos os Direitos reservados

Site: www.portalabrangente.com.br
E-mail: abrangente@portalabrangente.com.br
Telefone Escritório: (79) 3214-9717

Aracaju - Sergipe - BRASIL
Magikal Design